Meu bebê chora depois de mamar: o que fazer?

11 Julho, 2020
Talvez seja apenas porque os músculos do esôfago não estão totalmente desenvolvidos, ou talvez algo que a mãe comeu esteja irritando o bebê. De qualquer forma, o pediatra deve a avaliar a situação.

Há muitas razões pelas quais um bebê chora depois de mamar. De qualquer forma, esta é sempre uma causa de estresse e preocupação para os pais. O que será que pode estar acontecendo?

Neste artigo, explicaremos o que pode estar causando essa reação e o que você pode fazer a respeito.

Por que o bebê chora depois de mamar?

Primeiro, é preciso identificar o motivo pelo qual o bebê chora depois de mamar, já que há muitas possíveis causas. De qualquer forma, é sempre aconselhável ir ao pediatra para avaliar a situação.  

Alergias alimentares

Bebê comendo papinha
Inicialmente, a introdução de alimentos na dieta do bebê é realizada progressivamente para detectar possíveis alergias.

No caso da mãe amamentar o bebê, ela deve ter em mente que tudo que ela come também é passado para o bebê. Por esse motivo, talvez algo que a mãe esteja consumindo esteja causando alergia na criança. Nesse sentido, os alimentos que fazem o bebê chorar durante ou após a amamentação devem ser identificados.

O mesmo acontece no caso de bebês que choram após tomarem leite na mamadeira. Se a criança for  alérgica a algum dos componentes da fórmula, é normal chorar durante e após a alimentação. Por esse motivo, é importante consultar o pediatra a respeito dos sintomas que a criança estiver apresentando.

Alguns alimentos consumidos pela mãe irritam o bebê

Como dissemos anteriormente, talvez algo que a mãe está consumindo esteja irritando o bebê. Nesse sentido, existem alguns alimentos que é melhor evitar durante a amamentação:

  • Leguminosas (grão-de-bico, feijão)
  • Cítricos
  • Comida apimentada
  • Cebola
  • Café
  • Brócolis e couve-flor

Refluxo gastroesofágico

Refluxo gastroesofágico
A imaturidade do trato digestivo pode causar vômito ou choro após a alimentação.

A comida chega ao estômago através do esôfago. No entanto, quando há refluxo, o conteúdo do estômago aumenta e causa irritação. A sensação é bastante desconfortável, por isso é normal que um bebê com refluxo gastroesofágico chore após a mamada. 

Nos bebês, o músculo esofágico ainda não está totalmente desenvolvido. Portanto, não surpreende que muitas vezes a comida no estômago retorne. Esse é um problema bastante comum.

Assim, além de chorar, os bebês geralmente devolvem ou vomitam o leite. No entanto, à medida que crescem e o músculo se desenvolve, os sintomas e o choro devem desaparecer.

O refluxo gastroesofágico é normal. No entanto, se o refluxo durar muito (mais de 12 meses), o bebê pode ter a doença do refluxo gastroesofágico (DRGE), que requer tratamento médico. Entre os sintomas da DRGE, estão:

  • Vômitos após as refeições
  • Regurgitação mesmo após o primeiro ano
  • Irritabilidade e choro após a alimentação
  • Recusa em comer
  • Ganho de peso insuficiente

Nesses casos, o pediatra solicitará a realização dos exames diagnósticos pertinentes e, uma vez detectada a DRGE, iniciará o tratamento adequado.

Prática incorreta

Podemos alimentar o bebê em uma posição ou forma incorreta, fazendo com que, junto com a comida, ele também esteja ingerindo ar ou comendo rápido demais. Isso pode fazer com que ele chore depois de comer devido ao desconforto que sente.

O que fazer quando meu bebê chorar após mamar?

Meu bebê chora depois de mamar
Manter uma dieta adequada e uma postura correta durante a amamentação são algumas dicas para evitar o choro dos bebês.

Dependendo do motivo do choro, podemos aplicar certas soluções. De qualquer forma, é essencial consultar o pediatra.

  • Se a mãe amamentar a criança, é importante que ela siga uma dieta equilibrada e saudável e tente comer alimentos leves e benéficos. Por esse motivo, é melhor evitar tomar café e ingerir outros alimentos que possam irritar o bebê.
  • Sempre faça o bebê arrotar após mamar. Isso evitará o acúmulo de gases e o choro após a alimentação.
  • Mantenha uma boa postura e alimente o bebê adequadamente, para que ele não coma rápido demais ou ingira ar enquanto se alimenta.
  • Troque o tipo de leite/fórmula oferecido ao bebê. Ele pode ter alergia às proteínas do leite, por exemplo. No entanto, lembre-se de que é o pediatra que deve recomendar a mudança.