Que tudo de bom o encontre, o abrace e fique com você

2 de novembro de 2016
É possível que você não seja consciente disso, mas tudo de bom que você dá aos que o rodeiam volta para você, assim como tudo de ruim.

Desejar a cada uma das pessoas que nos rodeiam que encontrem tudo de bom e sejam abraçadas não é algo comum.

Em primeiro lugar porque, com frequência, preferimos pensar “que tudo dê certo para você, mas não mais certo do que para mim”.

O desejo nobre, puro e desinteressado não é visto todos os dias. As pessoas se inclinam mais por desejar todo o melhor para si mesmas e para os mais próximos, os que mais amamos.

No entanto, por que é tão difícil para nós propiciar este tipo de pensamento e desejo a todo mundo igualmente, independentemente de gostarmos ou não destas pessoas?

Algo que deveríamos levar em conta é que muitas de nossas vontades, nossos atos, nossas palavras e comportamentos têm consequências.

Um desejo é a visualização de uma vontade e, por sua vez, uma ânsia pela ação. Se eu desejo que tudo de bom acompanhe a alguém, também farei todo o possível para que assim seja, e o farei com convencimento, porque sinto isso.

Os bons desejos, portanto, nos enriquecem como pessoas. Não custam nada e fazem muito, porque transformam nossos pensamentos e eliminam de nossas mentes muitas cargas e enfoques negativos.

Propomos que você reflita sobre isso conosco.

A bondade que os pensamentos positivos possuem

A clássica ideia de que “colhemos aquilo que plantamos” sempre tem uma base de realidade.

No entanto, longe de ver esta concepção como algo determinista, temos que assumi-la como o fato de que cada ação tem a sua consequência.

Cultivar todos os dias pensamentos positivos é sinônimo de saúde. Não falamos de temas espirituais nem de praticar a bondade de forma arbitrária, somente porque assim nos manda um determinado enfoque religioso ou espiritual.

Borboleta representando o bom da natureza

  • Ter pensamentos positivos é focar a vida de forma mais adequada. Se eu desejo que tudo de bom acompanhe à minha família e meus amigos, demonstro que os amo e que me preocupo com o seu bem-estar.
  • No entanto, o autêntico problema chega quando alguém “deseja o pior” a alguém que detesta. Que sentido tem isso? O que ganhamos com isso? Quem gosta de ver os fracassos daqueles que não se encaixam com seus valores demonstra uma certa imaturidade.
  • De uma certa maneira, basta relembrar as etapas do desenvolvimento moral nas crianças que Lawrence Kohlberg enunciou.

Para as crianças de 6 ou 7 anos, só existe um código moral, e é aquele em que “somente as pessoas de quem eu gosto merecem o melhor, e aqueles de quem eu não gosto devem ser castigados”.

Este enfoque não constrói, não é digno nem cívico. As pessoas não têm obrigação alguma de se darem bem com todo mundo. No entanto, o fato de não se dar bem não implica desejar a ninguém o fracasso ou a infelicidade.

É melhor desejar a elas o melhor em seus caminhos pessoais. Enquanto isso, nós seguiremos por nossos próprios caminhos, esperando não encontrá-las, mas tendo desejos positivos para todos.

O que você faz, pensa e deseja sempre voltará para você

Alguns chamam de “a lei da causalidade”, outros de “efeito bumerangue”. Estes termos se traduzem em algo fácil de entender.

  • Meus atos e pensamentos sempre têm consequências. Uma palavra dita em um mau momento pode fazer com que uma pessoa que amamos se afaste de nós.
  • Desejar algo ruim a alguém pode fazer com que, a longo prazo, outras pessoas nos abandonem porque somos rancorosos, porque estes desejos maldosos incomodam e dizem muito sobre quem os tem.
  • Cada uma das coisas que fazemos, dizemos ou desejamos deixa uma pegada em nossos entornos. Assim, lembre-se: antes de falar pense no efeito que suas palavras podem causar.

Antes de fazer algo, pense nas consequências, e antes de tudo, deseje tudo de bom a aqueles que o rodeiam. É como plantar sementes de nobreza que irão enriquecê-lo como pessoa.

casal dando um bom abraço

Você é livre para criar o seu futuro

Buda dizia que “se você quer conhecer o seu presente, observe o seu passado, porque este é o resultado. Mas se você quer conhecer o seu futuro, preste atenção ao seu presente, pois nele estará a causa”.

  • Esta ideia se traduz em algo tão simples quanto sábio. Somos seres livres e arquitetos de nossa realidade. Cada coisa que fazemos tem consequências, como já sabemos, e é assim que, pouco a pouco, vamos modelando nosso futuro.
  • O simples fato de desejar tudo de bom a quem nos rodeia já dá forma a nossas emoções, a nossa forma de entender a vida.
  • Um enfoque que se baseia na reciprocidade e no reconhecimento dos demais abre nossa mente e nutre nosso coração.

Por sua vez, quem constrói entornos baseados na positividade e na empatia ganha em bem-estar emocional. Tudo isso nos permite construir um futuro muito mais cheio de esperança e positivo para todos.

Vale a pena levar isso em conta.

Recomendados para você