O que fazer se meu filho bater a cabeça?   

28 de julho de 2019
No meio das brincadeiras, corridas e pressa, as crianças muitas vezes costumam bater a cabeça e, com medo, choram. Aqui estão algumas dicas úteis para esses casos. 

Uma das preocupações mais comuns entre os pais de primeira viagem é o seguinte: o que fazer se meu filho bater a cabeça? Isso se deve, acima de tudo, ao fato de os pais sentirem grande medo quando se trata de tomar medidas para aliviar seus filhos pequenos. Simplificando, a insegurança é o que geralmente trava os pais.

Mesmo que as crianças com mais de dois anos de idade não sejam especialmente inquietas, ou que tenham sido aplicadas várias medidas preventivas, muitas vezes é inevitável que ocorram acidentes. E enquanto a maioria não costuma ser séria, você tem que saber como proceder no momento do incidente e na hora que isso acontece, para acalmar e aliviar as crianças da maneira certa.

Sinais de alarme após uma criança bater a cabeça  

Entende-se por “acidentes comuns” todos os casos em que ocorre um impacto, de baixa altura, ou sem velocidade. Sendo assim, entram nesse grupo todos os pequenos tropeções, quedas e golpes leves.

Em acidentes comuns, o medo é quase sempre maior do que a própria lesão. Normalmente, eles só produzem dor de baixa intensidade, um inchaço e, em alguns casos, algumas feridas superficiais (hematomas, arranhões, cortes).

Confira também: O que você deveria comer quando a sua cabeça dói?

Se a criança bater a cabeça, deixe ela chorar

Não obstante, quando qualquer desconforto persistir e aumentar de intensidade, é importante prestar atenção e ir ao pediatra o mais rápido possível. Em crianças, estes vêm a ser alguns dos sinais de alerta após um golpe na cabeça:

  • Irritabilidade.
  • Sonolência.
  • Convulsões.
  • Visão turva.
  • Vômito repetitivo.
  • Perda de consciência.
  • Assimetria nas pupilas.
  • Distúrbios da fala.
  • Mudança de humor.
  • Falta de coordenação ao se mover.
  • Profundidade na zona do impacto.
  • Indiferença (não responde adequadamente a estímulos).

Se vários sinais de alarme são notados é necessário evitar a mobilização do pescoço da criança, caso esteja associado um trauma à coluna cervical. Recomenda-se também consultar um médico de imediato para avaliar se ocorreu um traumatismo na cabeça.

A grande maioria dos golpes na cabeça não precisa de cuidados pediátricos urgentes, mas apenas de aplicar as medidas corretas.

Não deixe de ler: Como aliviar as dores no nervo ciático com exercícios

O que fazer se meu filho bate sua cabeça? 

Diante de um golpe de cabeça comum, a primeira coisa que devemos fazer é acalmar a criança. Independentemente de não serem muito pequenas ou não, é muito importante que se sintam bem e seguras. Assim poderão se acalmar, deixar o incidente para trás e relaxar.

Agora, no que diz respeito aos cuidados físicos, se deve:

  • Em primeiro lugar, colocar gelo na área do golpe dentro de um pano, para não queimar a pele.
  • Ademais, ante uma ferida superficial, esta deve ser lavada, desinfetada e enfaixada.
  • Logo, caso a criança tenha menos de 5 anos de idade é conveniente levá-la a um local com poucos estímulos auditivos e visuais, para que possa se acalmar com mais facilidade.
  • Posteriormente, pergunte à criança como se sente. Converse com ela para ter certeza de que ela está bem, e que o golpe não foi severo.
  • Finalmente, monitore a criança dentro de 24 a 48 horas após o golpe. Dessa maneira você poderá monitorar os sinais de alerta mencionados acima.

Sobre a administração de medicamentos 

Depois de um golpe na cabeça é normal que a criança sinta dor na área devido à contusão. O que fazer se meu filho bater levemente a cabeça e sentir alguma dor? Será que posso dar-lhe um analgésico? Em caso de golpes leves existem medicamentos com ibuprofeno que aliviam a dor de cabeça leve ou moderada, mas o médico é quem deve indicar o tratamento farmacológico.

Em conclusão, a maioria dos golpes na cabeça não é mais do que um susto para o pequeno e para os pais. No entanto, é sempre importante manter a calma, tratar a lesão da criança e tentar aliviá-la. Além de certificar-se de que não há possíveis sinais de alerta, consulte um médico para esclarecer quaisquer dúvidas.

 

  • Garcia-Rodriguez JA, Thomas RE. Office management of mild head injury in children and adolescents. Can Fam Physician. 2014;60(6):523–e303.
  • Bhargava P, Singh R, Prakash B, Sinha R. Pediatric head injury: An epidemiological study. J Pediatr Neurosci. 2011;6(1):97–98. doi:10.4103/1817-1745.84428
  • Wani AA, Sarmast AH, Ahangar M, et al. Pediatric Head Injury: A Study of 403 Cases in a Tertiary Care Hospital in a Developing Country. J Pediatr Neurosci. 2017;12(4):332–337. doi:10.4103/jpn.JPN_80_17
  • Burrows P, Trefan L, Houston R, et al. Head injury from falls in children younger than 6 years of age. Arch Dis Child. 2015;100(11):1032–1037. doi:10.1136/archdischild-2014-307119