Medo do coronavírus: dicas de gestão emocional

25 de março de 2020
O medo do coronavírus é uma realidade cada vez mais presente na população. Conforme o vírus se espalha no mundo, cada vez mais pessoas começam a sentir ansiedade, medo e pânico. O que podemos fazer a respeito? Daremos alguns conselhos a seguir.

Com o momento que estamos vivendo atualmente, o medo do coronavírus (COVID-19) está afetando cada vez mais a população. Depois que a Organização Mundial de Saúde (OMS) classificou essa infecção como uma pandemia, a incerteza passou a fazer parte do dia a dia de todos. Nesse momento, o epicentro da doença está na Europa, ainda que o vírus esteja afetando todo o mundo.

Por todas essas questões, a maioria dos países estabeleceu medidas de proteção bastante rígidas para tentar reduzir o número de transmissões e infectados. Ainda que pessoas jovens e saudáveis não costumem desenvolver complicações mais graves, os adultos mais idosos e pacientes imunodeprimidos têm um alto risco de sofrer um agravamento da condição e falecer.

A infecção provoca sintomas como tosse, febre e dificuldade de respirar. Esse último sintoma tende a ser mais severo nos grupos de risco mencionados. No entanto, além disso, a população também está sofrendo com a ansiedade e o medo.

Tanto em países como a Itália, onde as pessoas já estão em confinamento em casa há bastante tempo, quanto no Brasil, onde as coisas estão apenas começando, essas sensações estão se apoderando das pessoas. É muito mais difícil gerir a situação quando estamos com medo e angustiados. Por isso, neste artigo traremos algumas dicas de gestão emocional para esse momento de medo causado pelo coronavírus.

Quais são as consequência do medo do coronavírus?

Homem com máscara
O medo do coronavírus tem aumentado em toda a população. Esse medo leva a compras desnecessárias, discriminação e outras consequências.

Você também pode se interessar: Medicamentos e vacinas em desenvolvimento para o coronavírus

Diante da propagação do COVID-19 pelo mundo, muitos lugares recomendaram que sua população ficasse em quarentena em casa. Com essa medida, pretende-se frear a transmissão do vírus entre as pessoas. O ideal é sair de casa só para realizar algumas tarefas básicas, como comprar comida, remédios ou ir trabalhar.

No entanto, há muitos problemas que surgem com a quarentena. Grande parte da população mundial decidiu se mover após o início do fechamento dos estabelecimentos e anúncios de restrição pelo mundo, pegando trens, aviões ou qualquer outro transporte pra voltar à sua cidade de origem ou, pior, para aproveitar a suspensão do trabalho presencial para viajar. Só que isso traz um grande risco, pois favorece a expansão do coronavírus.

Muitas outras pessoas se desesperaram e foram para os supermercados comprar comida para estocá-la em casa. Muitos supermercados tiveram suas prateleiras esvaziadas durante dias devido a compras massivas e, com certeza, desnecessárias.

Inclusive, em alguns países onde a venda é permitida, como nos Estados Unidos, o medo do coronavírus aumentou a compra de armas. É complicado entender o que o medo e a ansiedade fazem com a mente humana. Por isso, a seguir vamos compartilhar algumas dicas para controlar essas emoções. Elas vão ajudar a fazer com que a situação melhore mais rapidamente.

Como lidar com o medo causado pelo coronavírus?

É possível que, diante de tudo isso, você esteja se sentindo à beira de um ataque de nervos, constantemente tenso ou inclusive com ataques de pânico. Além disso, devido ao bombardeio de informações, o mais provável é que você não pense nem fale sobre outra coisa além do coronavírus.

Também é normal que, diante de qualquer pequeno sintoma físico, você fique preocupado e pense que pegou a doença. São muitas as pessoas que estão indo até os serviços de pronto socorro após uma interpretação equivocada dos sintomas devido ao medo.

Além disso, mudar toda a rotina para fazer todas as atividades dentro de casa também pode ser complexo. Trabalhar de casa, malhar em casa, e inclusive tentar manter as relações sociais de dentro de casa pode ser um problema. No entanto, existem algumas ideias que podem ajudar a aliviar toda essa pressão.

Leia também: Mitos sobre o coronavírus

Controle as suas emoções

Menina preocupada no celular
Diante do medo causado pelo coronavírus, é interessante manter contato com os entes queridos que não estão por perto.

Em primeiro lugar, você deve tentar se manter ocupado. Distrair a mente de vez em quando e tentar focar em outra coisa que não o coronavírus. Ao mesmo tempo, aceite o medo que a situação produz e a ansiedade que ela provoca. Não há nada de errado em se sentir assim.

O ideal é buscar apoio nas pessoas próximas. Se você mora sozinho, tente ligar com frequência para amigos e familiares por meio de chamadas de vídeo; elas trazem uma sensação de proximidade maior que as mensagens. Faça o que for fazer você se sentir melhor e menos sozinho.

Analise a informação que você recebe sobre o coronavírus criticamente

Nem todas as notícias são confiáveis, nem todos os dados divulgados estão corretos. É importante verificar se a informação vem de uma fonte científica e confiável. Além disso, você deve tentar ser objetivo e realista. Ser excessivamente alarmista não trará benefícios para ninguém, muito menos para você.

Claro, você deve estar atento ao desenvolvimento de qualquer sintoma, mas sem ficar obcecado. Siga as medidas recomendadas de higiene e prevenção divulgadas pelas autoridades, mas sem qualquer comportamento de discriminação com nenhum grupo social ou rejeição a qualquer pessoa.

Além disso, recomenda-se ter uma atitude otimista diante da situação. Ser consciente do perigo não quer dizer que você deve ser demasiadamente negativo ou alarmista. Lembre-se de que lidar com as suas emoções e controlar o medo são ações que vão ajudá-lo a superar este problema.