Medidas preventivas contra o COVID-19

15 de março de 2020
As medidas preventivas mais eficazes para enfrentar o COVID-19 são lavar as mãos e se manter longe dos focos de contaminação. Diante da dúvida de estar sofrendo dos sintomas, é necessário consultar um profissional.

Estamos assistindo a uma epidemia causada pelo coronavírus, também identificado como COVID-19, e por isso é necessário tomar medidas preventivas. Desde dezembro de 2019, quando os primeiros casos foram detectados na China, o vírus se proliferou de maneira rápida atingindo todo o mundo.

A população está muito assustada diante dessa situação. Não são poucas as pessoas que se refugiaram em casa por medo do contágio, nem as que não saem na rua ou só saem munidas de suas máscaras cirúrgicas. O fato é que o COVID-19 está gerando medo e, além disso, muitas cidades já estão sob protocolos de quarentena.

A informação sobre esse vírus, no entanto, está sendo um pouco deturpada. Está cada vez mais complicado diferenciar entre o que é mito e o que é verdade sobre a infecção. As medidas de prevenção, o tempo de incubação, a forma de contágio, tudo está sendo contaminado por crenças falsas e desespero.

O COVID-19 é um vírus transmitido por contato próximo entre pessoas e mediante gotículas respiratórias que são produzidas ao tossir ou espirrar. Nesse artigo, explicamos quais são as melhores medidas preventivas para evitar o contágio do COVID-19.

A primeira das medidas preventivas contra o COVID-19: evitar zonas de contágio

Ainda que o vírus já esteja espalhado por todo o mundo, existem regiões com uma taxa de casos maior do que outras. São as chamadas zonas de risco, onde existe uma maior probabilidade de ser contagiado. Podemos mencionar o norte da Itália, por exemplo.

A ideia é se manter longe de pessoas que já estão doentes. Apesar de isso parecer simples, o COVID-19 tem um período de incubação médio de 6 dias. Além disso, os serviços de saúde estão começando a ficar saturados para fazer o teste diagnóstico.

Isso faz com que seja praticamente inevitável ter contato com pessoas que não sabemos se estão infectadas ou não. Não obstante, recomenda-se evitar ficar próximo de pessoas que apresentem os sintomas, ainda que não haja uma confirmação da infecção.

Além disso, seria prudente não comparecer a lugares onde haja uma grande aglomeração de pessoas. No entanto, essas medidas, como o cancelamento de eventos ou de atividades de trabalho, deve ser determinada pelos responsáveis pela saúde pública de cada região.

Leia também: Sintomas do coronavírus: tudo que você precisa saber

Menina espirrando
A primeira recomendação é se afastar de pessoas que possuem os sintomas do COVID-19.

Distância de segurança

Os cientistas afirmam que o vírus pode viajar cerca de um metro de distância. Por isso, recomenda-se manter-se ao menos a um metro de distância de outras pessoas se você tiver qualquer sintoma. Inclusive, na Itália, essa medida foi determinada como um padrão entre todos as pessoas.

Lave as mãos com frequência para enfrentar o COVID-19

Lavar as mãos é uma das medidas preventivas mais básicas para combater qualquer infecção. Isso é especialmente importante após ir no banheiro, espirrar ou tossir. E, logicamente, se tivermos tido contato com qualquer doente. Ainda que água e sabão sejam suficientes, também é possível usar desinfetantes.

Quando espirramos ou tossimos, é essencial tampar o nariz e a boca. Preferivelmente, devemos fazer isso com um pano descartável. Ainda assim, depois também devemos lavar as mãos.

Lavar as mãos
Lavar as mãos deve ser uma prática contínua para evitar a possibilidade de contágio pelo COVID-19.

Saiba mais: Medicamentos e vacinas em desenvolvimento para o coronavírus

Contate os serviços de emergência

Se você teve contato com algum infectado e começar a sofrer dos sintomas, não hesite em contatar os serviços de emergência. Os sintomas de alarme são a tosse, espirros frequentes, falta de ar e febre.

Tenha em mente que, nesse momento, está havendo um pânico generalizado. Os serviços sanitários estão começando a ficar saturados, e por isso é essencial ir para o hospital somente se existir uma dúvida real a respeito da possibilidade de contágio.

Não há nenhuma precaução especial com o manejo de alimentos ou com o trato de animais. No entanto, é importante se manter informado sobre as notícias do COVID-19, já que cada dia novas medidas e recomendações são fornecidas pelos órgãos competentes.

As melhores medidas preventivas contra o COVID-19

Como explicamos neste artigo, as melhores medidas preventivas contra o COVID-19 são a lavagem frequente das mãos e manter-se longe das áreas mais afetadas pela infecção. Se virmos uma pessoa com os sintomas, como a tosse, por exemplo, o ideal é manter uma distância prudente, de pelo menos um metro.

Não hesite em consultar um médico se tiver sintomas parecidos com os da doença. Além disso, se você suspeita de que pode estar infectado, deve se manter em autoisolamento para não contagiar outras pessoas.