Diante da adolescência, não se permita desistir

Embora seja verdade que a adolescência é uma fase difícil, devemos evitar enfrentamentos com nossos filhos em assuntos sem consequências sérias, e demonstrar firmeza diante dos temas importantes, como sexo e drogas.

Ninguém pode negar que a adolescência é uma fase complicada. Todos nós passamos por ela com maiores ou menores alterações de humor, irritados com nossa família, ou com uma rebeldia sem motivo.

Contudo, parece que não lembramos disso quando nossos próprios filhos estão lidando com essa fase tão complicada.

Leia também: 10 sintomas que nos alertam sobre a depressão em adolescentes

Não podemos desistir. É importante escutar, entender, sermos pacientes, e nos colocarmos em seu lugar.

Visto que já passamos pela mesma fase; quem melhor do que nós mesmos para não desistir e abordar os temas sem hesitação?

Informar-se sobre a adolescênciaLivro sobre a adolescência

Será difícil, muito complicado. Mesmo tentando sermos compreensivos, nossos filhos não nos escutarão. Eles irão virar as costas, fecharão as portas de seus corações.

No entanto, ainda que pareça que não terá fim, sabemos que a adolescência tem um prazo. Não tenha dúvida em insistir, muito menos faça de conta que não está acontecendo nada.

Sentimos um amor incondicional por nossos filhos e temos obrigação de demonstrá-lo. Apesar deles geralmente não quererem se comunicar conosco, não devemos nos colocar na defensiva, e muito menos recriminá-los por isso.

Frases como “você é um ingrato” ou “com tudo que eu fiz por você”, não servirão para nada, visto que fará com que gere uma desconfiança deles para conosco.

Mesmo sabendo de tudo isso, o caminho será muito difícil. Por isso é importante adquirir conhecimento sobre essa fase que nós já deixamos para trás.

Como? Com livros que abordem a adolescência. Existem muitos e de boa qualidade com os quais iremos nos identificar e nos sentir, algumas vezes, aliviados.

Descubra: O experimento social que alertou sobre o perigo que as crianças correm em redes sociais

A leitura é importante porque, ocasionalmente, podemos pensar que somos maus pais ou que podemos estar agindo mal. No entanto, o que nos faltam são conhecimentos, que podemos adquirir lendo e perguntando.

Coisas que sempre devemos fazerMãe com filha adolescente

Há uma série de assuntos que devemos abordar, mesmo que não nos agrade, e muitas vezes podemos perceber que estamos batendo contra a parede constantemente.

A diferença é que, nesse caso, são nossos filhos quem formam essa barreira inquebrável.

Nós escolhemos nossas próprias batalhas

Às vezes brigamos com nossos filhos por coisas irrelevantes, por exemplo, a vontade de fazer uma tatuagem, tingir o cabelo, ou colocar um piercing.

Esses são os assuntos superficiais aos quais prestamos muita atenção, mas não damos importância ao interior dos adolescentes.

Cigarro, sexo, álcool ou as drogas são temas aos quais devemos ter posicionamento firme. No entanto, quanto a forma de se vestir? Isso é discutir apenas por discutir.

Atenção aos sinais de alertaAdolescente com cabelo pintado

Quando pensamos que o que nossos filhos fazem são coisas de adolescente e decidimos ignorá-los, também passam despercebidos alguns sinais de alerta.

Não perca: Amores na idade madura: quando duas almas sábias se encontram

Por exemplo, uma compulsão repentina por comida, uma mudança drástica na maneira de se vestir, ansiedade sem motivos…

Isso não é loucura, visto que nosso filho pode estar tendo algum tipo de transtorno alimentar em decorrência de um maltrato psicológico por parte de seu parceiro ou bullying.

Supervisionar o contato com as redes sociais

A Internet nos permitiu acessar uma grande variedade de informações e também poder nos comunicar com os demais.

Isso não significa que você deva estar em cima de seu filho o tempo todo, mas tem o dever de controlar um pouco o contato com as redes sociais.

Por exemplo, o fato de estar estudando com o celular na mão não é uma boa ideia, nem estar o dia inteiro navegando na internet com finalidades nada aproveitáveis.

Perder o tempo em frente a uma tela não traz benefícios e determinará seu futuro. Além disso, é preciso ter em mente que a intimidação e o bullying têm grande espaço nas redes sociais.

A autoestima deve ser protegida, no entanto na internet ela corre grande perigo. Devemos conversar com nossos filhos, colocar limites e torná-los conscientes do que terá boa ou má repercussão.Adolescente no computador

Antes de ir veja este artigo: A importância de ensinar às crianças a dizer “por favor”, “obrigado” ou “bom dia”

Devemos lembrar que a adolescência é uma etapa que tem um fim. Portanto, não devemos nos deixar levar por aquilo que um dia também nos afetou.

Nossos filhos precisam de nós. Estamos aqui para eles, fazendo com que eles sintam nosso amor de forma pacífica e sem discussões desnecessárias.

 

Recomendados para você