Tenho diabetes, como agir diante do coronavírus?

21 de março de 2020
Os pacientes com diabetes, assim como todos os outros grupos de risco, devem tomar medidas preventivas diante da situação causada pelo coronavírus. Neste artigo, compartilhamos algumas recomendações gerais.

Devidos aos alertas causados pelo coronavírus, muitos pacientes com diabetes e seus cuidadores se viram obrigados a seguir medidas de prevenção. A pandemia causada pelo COVID-19 é recente, e ainda há muitas incógnitas sobre o seu desenvolvimento

Até o momento, não há informações precisas sobre aspectos como a forma de propagação do vírus, seu modo de ação, sua fisiopatologia, entre outras questões. No entanto, já foi possível identificar alguns grupos de risco, como os idosos, pessoas imunodeprimidas e diabéticos.

Ainda que o COVID-19 seja um patógeno que não tem uma alta taxa de mortalidade em condições normais, os grupos mencionados poder ter complicações graves e sofrer consequências fatais. Hoje, queremos falar sobre um grupo particular que pode sofrer sintomas mais graves com o coronavírus: os pacientes com diabetes.

A seguir, vamos explicar como adotar estratégias de prevenção eficientes, e daremos algumas recomendações de nutrição que podem ser úteis para que essas pessoas cuidem da sua saúde.

Prevenção do coronavírus

Lavar as mãos corretamente
Uma das medidas mais importantes para a prevenção do coronavírus é a lavagem correta das mãos.

Os pacientes com diabetes, assim como qualquer outra pessoa, devem reforçar a higiene das mãos como método de prevenção do coronavírus. Ainda que o vírus possa permanecer ativo em algumas superfícies, de acordo com os especialistas ele é sensível ao sabão, à água e ao álcool.

Por esse motivo, é crucial lavar as mãos com frequência e desinfetar os objetos que são usados no dia a dia, incluindo os telefones celulares. Além disso, recomenda-se não sair de casa para evitar o contato com outras pessoas.

Uma distância de 2 metros deve ser suficiente para evitar a propagação do vírus a partir de partículas de saliva que ficam suspensas ao serem emitidas durante a fala.

Não existem indícios que nos levem a pensar que os alimentos possam ser um vetor de contágio. No entanto, recomenda-se cozinhar os alimentos completamente para evitar possíveis riscos.

Você também pode se interessar: 3 alternativas ao gel desinfetante

Diabetes e coronavírus: o que fazer?

Ir para o hospital nesse momento não é uma boa ideia, a não ser que você tenha um quadro de sintomas muito grave. Por esse motivo, a melhor opção é fazer um planejamento correto. Dessa forma, é necessário ter à disposição os números de telefone dos serviços médicos.

Por outro lado, também é crucial ter comida e outros itens na despensa que permitam ficar em casa até que o período de incubação e contágio do vírus tenha sido finalizado. Além disso, é necessário contar com os equipamentos de monitorização da glicemia, assim como com a medicação que controla esse índice.

No caso de um diabético contrair a doença, recomenda-se buscar um contato imediato com a equipe de saúde mais próxima para saber exatamente a frequência com a qual a glicose deve ser controlada. Cabe destacar que não se deve suspender nenhuma medicação a não ser que o médico fale expressamente.

Alguns especialistas afirmam que alguns medicamentos podem agravar a progressão da doença, mas ainda não existem estudos científicos a respeito do tema que permitam confirmar essa informação. De qualquer modo, é melhor evitar a automedicação e seguir ao pé da letra as recomendações dos profissionais.

Alimentação contra a inflamação e contra o coronavírus

Alimentação para glicemia
Alguns alimentos, inclusive os indicados para uma dieta saudável e balanceada, podem ser benéficos para os paciente com diabetes.

O coronavírus pode gerar uma pneumonia que pode comprometer a vida de uma pessoa. Por esse motivo, a alimentação será sempre focada na redução da inflamação. As evidências científicas determinaram que certos alimentos, como o alho, apresentam um caráter anti-inflamatório. Por esse motivo, seu consumo é recomendado nesse tipo de situação.

Além disso, outros estudos atuais sugerem que a cúrcuma pode ajudar a prevenir e a melhorar os sintomas de doenças pulmonares. Graças a uma capacidade antioxidante e anti-inflamatória, ela se torna uma grande aliada que pode ajudar a combater a doença.

Leia também: Recomendações para evitar o contágio por coronavírus

Diabetes e coronavírus: recomendações finais

Devido ao grande desconhecimento que as autoridades sanitárias têm sobre o vírus, é necessário aumentar as precauções no caso de pessoas que possuem diabetes e outras doenças. É necessário ser o mais higiênico possível para evitar a contaminação, e não sair na rua caso haja motivos de força maior.

As pessoas que fazem parte dos grupos de risco apresentam mais chances de desenvolver um caso grave. Por esse motivo, devem ter bem claro como agir caso comecem a sentir os sintomas. Seguir os conselhos de alimentação adequada pode ajudar a melhorar os sintomas da doença, ainda que não existam estudos em específico na literatura por se tratar de uma situação muito recente.

Por último, cabe destacar que é fundamental contribuir para evitar o colapso do sistema de saúde. Devido a isso, não se deve ir ao hospital salvo em caso de extrema necessidade. Além disso, é necessário avisar as autoridades competentes se surgirem sintomas ou se houver qualquer suspeita de ter contraído a doença.