Como conviver com uma pessoa com coronavírus?

22 de março de 2020
Devido às normas que estão sendo impostas mundialmente por causa do avanço da COVID-19, tornou-se uma prioridade entender como conviver com uma pessoa com coronavírus. Essa é a situação em vários lares ao redor do mundo, e aqui vamos esclarecer o que podemos fazer nesse caso.

Muitas famílias estão tendo que aprender a conviver com uma pessoa com coronavírus. Como nem todos os pacientes são internados e vários passam o período de sintomas e convalescença em casa, há casos em que a coexistência forçada é a única opção.

Isso não é um erro dos sistemas de saúde ou dos profissionais que atendem os casos. Para determinados pacientes que receberam positivo no resultado do teste para o coronavírus, é corretamente indicado que cumpram a quarentena em casa, inclusive com seus familiares.

Ainda que as medidas obrigatórias de quarentena que estão sendo implementadas no mundo todo busquem o distanciamento social a fim de diminuir a velocidade de propagação do vírus, as internações domiciliares não devem ser entendidas como uma contradição. Presume-se que as pessoas que ficam em casa estão respeitando o isolamento com seus familiares ou com outras pessoas com quem moram.

No entanto, o medo também é esperado. As pessoas que recebem um parente infectado com COVID-19 em casa tem se perguntado se é possível conviver com uma pessoa com coronavírus sem se infectar. Então, considerando que isso seja possível, quais medidas devem ser tomadas para reduzir o risco de contágio?

Neste artigo, vamos explicar como essa convivência é possível e quais são as medidas que devem ser aplicadas nas casas afetadas durante a quarentena. A pandemia de coronavírus criou uma situação global especial e, como tal, exige medidas diferentes das habituais.

O contágio do coronavírus

Até agora, as pesquisas concordam que o contágio da COVID-19 ocorre por meio de gotículas respiratórias que os humanos expelem pelo nariz e pela boca. Essas gotículas podem entrar na mucosa de uma pessoa não infectada, causando a doença.

Existe também um determinado tempo de sobrevivência do vírus nas superfícies. Dentro de uma casa, isso é um aspecto importante a se considerar. O vírus pode estar em mesas, sofás, cadeiras, celulares, computadores e televisões. Quando alguém passa a mão nesses objetos, o risco de contágio aumenta.

A pandemia de COVID-19 mostrou um alto índice de contágio. Embora não se trate do vírus mais letal que a humanidade já enfrentou, sua capacidade de propagação é evidente.

Além disso, na era globalizada em que vivemos, as viagens e o contato entre seres humanos distantes favoreceram a sua disseminação. Essa é uma das razões pelas quais os países estão, cada vez mais, intensificando suas quarentenas.

Desinfetante em gel
A pandemia de coronavírus criou uma nova situação que nos obriga a mudar de hábitos.

Leia também: É possível pegar coronavírus duas vezes?

Como conviver com uma pessoa com coronavírus?

Depois de confirmada a presença de uma pessoa infectada com coronavírus em casa, temos que tomar certas medidas internas. Isso vai além da quarentena estipulada pelo país ou das restrições aplicadas à área geográfica em que estamos.

Em primeiro lugar, a pessoa infectada deve usar máscara. E não é qualquer máscara. A recomendação é usar alguma que possua um filtro FFP2 ou superior, de modo a garantir que as partículas virais expelidas pela pessoa não se espalhem.

Em segundo lugar, o protocolo de distanciamento de mais de dois metros deve ser aplicado dentro da casa. Essa é uma tarefa difícil, mas deve ser rigorosamente seguida. Devem ser criadas formas de circular pela casa que impeçam o contato direto dos moradores.

Pratos, toalhas e roupas de cama não devem ser compartilhados. O que a pessoa infectada com COVID-19 usar deve ser exclusivo para ela, sem compartilhamento. No mesmo sentido, é importante que a maioria dos objetos que a pessoa infectada usa seja de uso exclusivo, mesmo que normalmente não seja assim. Isso significa que celulares, computadores e livros usados pela pessoa infectada devem ser manuseados somente por ela.

Lavar as mãos é imprescindível. Todos os moradores da casa devem lavar as mãos frequentemente com água e sabão. Se a casa contar com um fluxo contínuo de água, não será necessário o uso de álcool gel.

Lavar as mãos com água e sabão
Durante a convivência com uma pessoa infectada com coronavírus, é essencial lavar as mãos com frequência.

Saiba mais: Mitos sobre o coronavírus

Como limpar a casa durante a convivência com uma pessoa com coronavírus?

A limpeza da casa durante uma quarentena como esta foi estipulada pela OMS com uma série de recomendações a serem seguidas. Essas recomendações devem ser aplicadas a famílias que vivem com uma pessoa infectada com COVID-19.

A pessoa que vai realizar a limpeza da casa deve usar máscara e luvas. Novamente, lembramos que a indicação é o uso de uma máscara superior à categoria FFP2.

Os resíduos de limpeza devem ser colocados em um saco específico e hermeticamente fechado. O saco deve ser de plástico, resistente e sem possibilidade de se rasgar facilmente. Dentro dele, também devem ser colocadas a máscara utilizada, que deve ser descartada, e as luvas descartáveis.

A limpeza em si requer o uso de uma solução de água sanitária, na proporção de 1 parte do desinfetante para 49 partes de água. Para as roupas e os utensílios de cozinha, nos quais não se deve usar água sanitária, deve-se lavar normalmente, mas separando os objetos de uso da pessoa infectada. No caso de usar uma máquina de lavar louça, a temperatura deve chegar a 60 ºC.

Até quando seguir essas recomendações na convivência com uma pessoa infectada por coronavírus?

Quando se trata de um paciente diagnosticado, somente uma autoridade de saúde poderá determinar o fim da infecção. Em outras palavras, a alta médica deve ser determinada por um profissional e não pode ser uma decisão unilateral do paciente ou da família. Enquanto a alta médica não ocorrer, as medidas de isolamento devem ser mantidas.