Bruxismo: um transtorno psicossomático

8 de janeiro de 2017
A pessoa afetada não costuma ser consciente do bruxismo, já que aperta os dentes de forma inconsciente. Por isso, será geralmente alguém de fora que perceberá a situação.

O hábito de ranger os dentes de forma involuntária, principalmente durante a noite, é um problema muito frequente nos adolescentes, ainda que haja casos de adultos que o apresentem.

O bruxismo pode causar dores de cabeça, na mandíbula e no ouvido, assim como também ruptura dos dentes.

Neste artigo contaremos mais sobre um transtorno psicossomático que vale a pena analisar.

O que saber sobre o bruxismo?

Pode aparecer em qualquer momento da vida, ainda que a maioria dos pacientes tenha entre 17 e 20 anos ao começar com este hábito.

Quanto à remissão, pode sumir da mesma maneira que apareceu (sem tratamento) ou durar por vários anos no caso do bruxismo crônico.

A origem deste hábito está relacionada com estados de ansiedade, fatores genéticos e até alergias. Contudo, a mais aceita é a teoria que assinala o estresse como desencadeante do bruxismo.

Não é fruto de sofrer de parasitas intestinais, diferente do que se crê.

Veja também: Com estes dois ingredientes você limpará seu corpo de parasitas

Podemos dividi-lo em vários tipos:

Bruxismo cêntrico

o bruxismo

Acontece quando se aperta fortemente os dentes. As peças mais danificadas são as pré-molares e um sintoma comum é a cefaleia tensional.

Bruxismo excêntrico

É o ranger entre os dentes de cima e de baixo. Gera ruídos e movimentos bruscos na mandíbula. Desgasta as peças dentais (principalmente os incisivos) e pode causar rupturas e perda dos dentes.

Bruxismo do sono ou noturno

Acontece durante o sono e quem o apresenta não se dá conta da situação. Aparece nas fases 2 e 3 do sono, no REMSe a pessoa dorme 8 horas por noite, o episódio do bruxismo se manterá entre 15 e 40 minutos.

Bruxismo de vigília ou diurno

A pessoa esfrega ou aperta muito forte os dentes quando está sob pressão no trabalho ou na universidade. Está relacionado com o estresse no trabalho e os problemas pessoais.

Porque o bruxismo é um transtorno psicossomático?

Ranger os dentes é a forma que muitas pessoas encontram para descarregar as tensões causadas pelas obrigações, as pressões ou as vicissitudes da vida.

Ainda que várias pessoas possam pensar que o bruxismo é tratado (e curado) com algumas visitas ao dentista, a verdade é que é preciso recorrer a uma consulta psicológica.

Na realidade é necessário uma abordagem entre ambas as especialidades médicas

O odontologista se encarregará de melhorar ou tratar os dentes gastos ou quebrados, enquanto o terapeuta tentará encontrar o motivo do aparecimento deste hábito.

Para isso, dará ênfase, é claro, às situações estressantes, de ansiedade ou preocupação pelas quais o paciente passa.

o bruxismo

A pessoa que tem este transtorno não é consciente deste hábito, nem das causas que o provocam. É considerado um transtorno psicossomático e algumas vezes o diagnóstico é simples, mas o tratamento nem tanto.

Já que é provocado por um grande episódio de estresse, pode vir acompanhado de outros sintomas como, por exemplo, muita dor de cabeça ou cervical.

Na Universidade do Chile pesquisaram sobre a incidência do bruxismo na vida de uma pessoa.

Os pesquisadores indicam que este transtorno pode permanecer por vários anos e ter períodos de maior frequência ou gravidade, em função das pressões ou dos problemas pelos quais a pessoa esteja passando.

A boa notícia é que, uma vez que é detectado por um familiar ou amigo que escuta o ranger, ou mesmo pela pessoa afetada ao analisar os sintomas, pode ser tratado com sessões de terapia.

Esta terapia permitirá colocar em palavras os medos, o que causa mal-estar e as preocupações que afligem o paciente, trabalhar nelas para que não influenciem em seu dia a dia e evitar que tragam o bruxismo como consequência.

Tratamentos e prevenção do bruxismo

o bruxismo

Dentre tratamentos globais ou multidisciplinares para reduzir as consequências do bruxismo, encontramos:

Tratamento odontológico

É feito com ajustes oclusais ou uma ferramenta que simule o padrão de mordida. Este objeto é colocado no momento de dormir e a única coisa que faz é evitar que os dentes quebrem ou se danifiquem, mas não elimina o hábito.

Tratamento psicológico

o bruxismo

É muito importante que a pessoa faça terapia para determinar a causa do bruxismo. Uma mudança de atitude diante dos problemas ou das obrigações é o primeiro passo para evitar este hábito.

Tratamento farmacológico

Em casos de bruxismo e estresse extremos, os médicos usam tranquilizantes ou relaxantes musculares, assim como também ansiolíticos.

Tratamento físico

Quando os incômodos faciais são muito fortes, os dentes ficam muito doloridos, o terapeuta pode oferecer massagens ou técnicas de relaxamento para o pescoço e a cabeça.

É outro tratamento paliativo, mas não preventivo ou redutor do bruxismo.

Tratamento de acupuntura

A terapia que usa pequenas agulhas para melhorar certas emoções ou canalizar energias pode servir para relaxar o paciente e evitar que ranja os dentes enquanto dorme.

Tratamento de relaxamento

A ioga, a meditação ou o taichi podem ser de grande utilidade para alguém que sofre de bruxismo. Estas disciplinas relaxam o corpo, acalmam a mente e diminuem o estresse, os nervos a ansiedade.

Leia também: 7 tipos de meditação e seus benefícios

Por fim, para prevenir novos episódios de ranger os dentes, podemos:

  • Praticar esportes para induzir o sono mais profundo.
  • Dormir um pouco à tarde.
  • Realizar atividades recreativas, como escutar música ou ler antes de dormir.
  • Diminuir o consumo de cafeína.
  • Tomar banhos relaxantes à noite.
  • Aplicar calor úmido no rosto e no pescoço.
  • Shetty, S., Pitti, V., Babu, C. L. S., Kumar, G. P. S., & Deepthi, B. C. (2010). Bruxism: A literature review. Journal of Indian Prosthodontist Society. https://doi.org/10.1007/s13191-011-0041-5