Os alimentos mais saudáveis ​​para idosos

11 Outubro, 2020
Os alimentos recomendados para idosos são aqueles cuja qualidade nutricional ajuda a proteger a flora intestinal e a reduzir a inflamação. Quais são? Descubra a seguir.

Com a idade, corremos o risco de desenvolver certas doenças; portanto, é importante fazer algumas mudanças na dieta habitual. O consumo dos alimentos mais saudáveis para idosos diminui a incidência de certas patologias e o risco de condições de saúde próprias da idade.

Vamos apresentar a você uma série de alimentos que são essenciais nos planos alimentares de pessoas que estão na terceira idade. No entanto, não se esqueça de que essas pessoas também precisam de uma alimentação variada. Além disso, a prática regular de exercício físico pode ajudar a aliviar muitas das suas doenças.

Iogurte, um dos alimentos mais saudáveis para idosos

Na velhice, a flora intestinal é muito alterada. Sua diversidade é reduzida e sua funcionalidade é diminuída. Para amenizar esse processo, o consumo regular de iogurte e leite fermentado é essencial. Dessa forma, uma boa quantidade de probióticos é fornecida ao organismo, os quais serão responsáveis ​​por povoar o trato gastrointestinal.

A administração desse tipo de alimento em idosos está associada à melhora da saúde intestinal e da densidade óssea, de acordo com artigo publicado na revista Osteoporosis International.

No entanto, nem todo tipo de iogurte é válido. É necessário escolher aqueles que são feitos com leite integral, mas sem adição de açúcares.

Iogurte natural
O iogurte natural é um alimento recomendado para a dieta dos idosos. Em geral, fornece probióticos e ajuda no cuidado da flora intestinal.

Maçã para melhorar a flora intestinal

Da mesma forma que um suprimento de probióticos é necessário, uma porção de fibra solúvel também é essencial para recuperar a diversidade bacteriana.

O melhor alimento para cumprir esta função é a maçã. Possui em sua composição uma quantidade interessante de pectina, fibra alimentar capaz de fermentar no intestino.

Como resultado desta fermentação, é possível obter ácidos graxos de cadeia curta com capacidade anti-inflamatória e um crescimento seletivo da flora intestinal, conforme um estudo realizado em 2017.

Uma estratégia eficaz ao tentar restaurar a microbiota pode ser comer maçã e iogurte juntos. A fibra solúvel protege as bactérias contra a azia, permitindo que mais delas cheguem ao intestino com capacidade de colonização.

Descubra também: Como a alimentação influencia a microbiota?

Peixe oleosos duas vezes por semana para idosos

Outro alimento essencial na alimentação dos idosos são os peixes oleosos. Esse tipo de produto possui uma quantidade significativa de ácidos graxos ômega 3, com alta capacidade anti-inflamatória.

A sua ingestão regular está associada à redução do risco cardiovascular, que se posiciona como uma das principais causas de morte no primeiro mundo. Entretanto, é importante escolher peixes pequenos.

Os maiores podem conter níveis significativos de mercúrio, um metal com potencial neurotóxico. Além disso, deve-se evitar fritar esse tipo de alimento. As frituras destroem os ácidos ômega 3 e os transformam em lipídios do tipo trans, com capacidade inflamatória e de risco à saúde.

O peixe oleoso deveria estar presente na dieta dos idosos pelo menos 2 vezes por semana. Os métodos de cozimento preferidos são grelhados, assados ​​ou no vapor. Seu acompanhamento deve ser baseado em uma variedade de vegetais, ao invés de alimentos ricos em carboidratos.

Peixes oleosos
Os peixes oleosos fornecem doses interessantes de ácidos graxos ômega 3. Portanto, são recomendados para a dieta dos idosos.

Não deixe de ler: 5 fontes vegetais de ácidos graxos ômega 3

A importância dos alimentos mais saudáveis para idosos

Os idosos passam por uma série de mudanças fisiológicas e hormonais. Para aliviar os efeitos que essas mudanças ocasionam, é necessário aplicar variações na sua dieta habitual. A inclusão de alimentos com capacidade anti-inflamatória e antioxidante é fundamental.

Uma das alterações da terceira idade que mais preocupa os especialistas é a perda da diversidade da microflora. Isso pode levar a um déficit na assimilação de certos nutrientes, bem como a uma diminuição na produção de ácidos graxos de cadeia curta.

Para neutralizar esse efeito, é aconselhável aumentar o consumo de laticínios fermentados e fibras solúveis. Além disso, é importante a inclusão de um complemento de probióticos.

Para manter a inflamação sistêmica sob controle, é necessário aumentar o consumo de peixes oleosos. Estes alimentos contém ácidos graxos ômega 3 em sua composição.

Seu efeito anti-inflamatório é essencial nesta fase da vida. No entanto, você deve evitar comer peixes grandes com frequência, pois seu teor de mercúrio pode ser prejudicial.

  • Laird E., Molloy AM., McNulty H., Ward M., et al., Greater yogurt consumptions is associated with increased bone mineral density and physical function in older adults. Osteoporos Int, 2017. 28 (8): 2409-2419.
  • Faith Chung WS., Meijerink M., Zeuner B., Holck J., Prebiotic potential of pectin and pectic oligosaccharides to promote anti inflammatory commensal bacteria in the human colon. FEMS Microbiol Ecol, 2017.