É alergia, gripe ou coronavírus?

20 de março de 2020
Como os sintomas de coronavírus são semelhantes aos da gripe, faz sentido questionar quais são as diferenças em relação a outras doenças virais e às alergias sazonais. Neste artigo, vamos explicar o que caracteriza cada quadro e quando ficar atento.

A disseminação do coronavírus no mundo, sob a forma viral da COVID-19, deixa o planeta em suspense. A população se pergunta como diferenciar os sintomas do coronavírus em relação à gripe para saber quando mobilizar esforços e quando não.

O aumento no número de casos, que já ultrapassa os 200.000 infectados, coloca em risco a capacidade de resposta dos sistemas de saúde. Como o coronavírus é facilmente transmitido, mesmo que não tenha um alto índice de letalidade, provoca a necessidade de consultas frequentes e a ocupação de leitos hospitalares em pouco tempo.

A ideia dos protocolos de ação é diferenciar entre casos suspeitos, casos que devem ser isolados, pacientes que precisam de internação e aqueles que podem seguir em isolamento domiciliar. Não podemos esquecer que, embora não pareça, por causa das notícias, ainda existem outras doenças, como a gripe e as alergias.

Vamos ver com mais detalhes quais são os sintomas de cada quadro, a fim de ter uma visão geral que sirva como orientação para, assim, poder diferenciar entre alergias, gripe ou coronavírus.

Sintomas do coronavírus

A infecção por COVID-19, no atual surto global declarado pandemia pela Organização Mundial da Saúde (OMS), é caracterizada por 3 sintomas principais:

  • Febre
  • Tosse seca
  • Esgotamento

Em alguns casos, também foram observados sintomas como diarreia, dor abdominal, odinofagia – dor de garganta – e rinorreia – coriza. Como podemos ver, os sintomas são bastante inespecíficos e podem ser confundidos com outras patologias. Também é verdade que nem todos os pacientes positivos para COVID-19 apresentam todos os sinais.

Mulher com máscara em aeroporto
Os sintomas do coronavírus não são específicos e podem ser confundidos com os da gripe.

Continue lendo: Sintomas do coronavírus: tudo que você precisa saber

Sintomas da gripe

A gripe é uma doença causada pelo vírus influenza e suas cepas. Os casos de síndromes gripais que ocorrem todos os anos correspondem à gripe sazonal associada ao inverno. Por outro lado, de tempos em tempos ocorrem epidemias pontuais devido a uma mutação do vírus influenza, como aconteceu com a gripe A (H1N1).

Os sintomas da gripe sazonal são:

  • Febre
  • Tosse
  • Dor de garganta
  • Falta de ar

O cansaço ou a exaustão são muito característicos do vírus influenza. Quando estamos com gripe, nosso corpo tem grandes dificuldades para se mover, realizar atividades diárias e sair da cama. A gripe nos obriga a descansar, mesmo quando queremos continuar com nossa vida diária normal.

Sintomas de alergia

A alergia respiratória que muitas pessoas apresentam no outono e na primavera tem sintomas muito mais leves do que a gripe e o coronavírus, além de tender a se localizar no sistema respiratório superior. Além do nariz, a alergia também ataca os olhos.

Os sintomas de uma alergia costumam ser:

  • Rinorreia: coriza
  • Espirros
  • Lacrimejamento ocular
  • Eritema na ponta do nariz: é a coloração avermelhada que a pele apresenta nessa área devido à irritação.

É importante destacar que, na alergia, os sintomas são leves e persistentes. Embora uma tosse seca possa aparecer na forma de acessos paroxísticos, ela não possui a mesma intensidade do que na gripe, por exemplo. E o cansaço ou a exaustão não se assemelham de maneira nenhuma ao que é sentido no caso das infecções virais.

Mulher com sintomas de alergia
Os sintomas da rinite se concentram no sistema respiratório superior.

Descubra mais: Por que sou alérgico? Quais são os sintomas da alergia?

Como diferenciar a alergia da gripe e do coronavírus?

Em primeiro lugar, a gripe e o coronavírus apresentam sintomas semelhantes, cujas intensidades também são parecidas. Isso dificulta a diferenciação entre um vírus e o outro. O ponto de dissidência é o que se conhece como nexo epidemiológico.

O nexo epidemiológico é o contato que uma pessoa pode ter tido com alguém infectado. Assim, para que haja a suspeita de coronavírus, é preciso rastrear o ponto de encontro da pessoa que está com febre, por exemplo, com o COVID-19. Talvez ela tenha viajado para uma área geográfica com circulação do vírus ou passado um tempo com um caso positivo.

Quanto à alergia, é mais fácil de diferenciar. Os sintomas tendem a ser leves e localizados na face, sem envolvimento sistêmico. Além disso, são respostas a estímulos específicos, como a estação do ano – primavera e outono – e a presença de certas substâncias no ambiente.

Na dúvida, o médico sempre tem a última palavra. É importante consultar um profissional para esclarecer preocupações, especialmente se houver febre envolvida. Alguns exames disponíveis nos centros de saúde podem identificar o coronavírus com relativa rapidez.

Por fim, o fato de não ser coronavírus e ser uma gripe sazonal também não diminui a sua gravidade. Em pacientes imunodeprimidos ou com doenças crônicas, a gripe por influenza é tão ou mais perigosa do que o coronavírus, e deve ser tratada de forma rigorosa.