A asma da alergia primaveril: um incômodo que tem solução

23 de junho de 2017
Já que a asma pode ser um sintoma resultante da alergia primaveril, devemos evitar aqueles ambientes nos quais podemos estar expostos a focos de alérgenos, para não correr riscos.

A alergia primaveral ocorre porque a presença de pólen no ambiente pode causar uma inflamação nos brônquios da pessoa que tem tendência à alergia.

Esta concentração de pólen no ambiente também pode ter como consequência determinados episódios agudos de asma.

Diferenças entre asma e alergia primaveril

Mulher com asma alergica

As duas situações, asma e alergia, estão relacionadas. Os alérgenos, como é o caso do pólen, afetam de maneira importante os pacientes asmáticos.

No entanto, o problema não é que sejam uma das principais causas da asma, mas que também são um desencadeante de crises de asma entre os pacientes afetados pela doença.

Os termos asma e alergia não devem ser confundidos.

  • A asma é uma doença crônica que consiste em uma inflamação dos brônquios, que provoca sua irritação e estreitamento, causando dificuldades para respirar.
  • No caso da alergia, trata-se de uma resposta de caráter imunológico ou defensivo diante de diferentes substâncias, que normalmente não causam reações na maior parte das pessoas.

Quer saber mais? Leia: Alergias sazonais: 8 remédios naturais para combatê-las

Incidência de asma

  • A asma é uma doença muito comum, chegando a ser um importante problema de saúde pública, e causa de altas cifras de mortalidade.
  • O risco é elevado entre as crianças menores a 15 anos, sendo a doença mais frequente na infância.
  • Além disso, a asma causada pela alergia é mais comum entre as crianças do que entre os adultos.

A importância de um tratamento

Sobretudo prevendo-se a alergia primaveril, é importante que os pacientes asmáticos tomem as precauções necessárias nesta época do ano, por causa, dentre outros fatores, do pólen.

Os especialistas advertem que o medicamento não deve interferir na vida as pessoas que têm asma.

Assim, a posologia desses tratamentos deve se adaptar à vida diária do paciente.

É muito disseminado o uso de inaladores, que são a via de administração mais comum. Por sua vez, que permitem ajustar a dose adequada, os modelos mais modernos tornam possível um uso mais fácil e simples.

Conselhos para controlar a alergia primaveral e a asma

Teste da asma primaveril

  • É preciso conhecer os níveis de pólen e as previsões para a região em que se mora, ou o lugar para onde o paciente prevê se deslocar.
  • As pessoas com propensão à asma e à alergia primaveral devem evitar a exposição, minimizando as idas ao campo, aos parques etc.
    Ainda assim, devem limitar o tempo de permanência no exterior. Sobretudo, se as condições ambientais são suficientes para causar sintomas nesses dias.
  • Em níveis ambientais altos de pólen, é preciso evitar o uso de lentes de contato e usar uma máscara.
  • As casas devem ser bem ventiladas. O momento de maior risco de entrada de pólen nas casas é ao entardecer.
  • É preciso garantir que os filtros de pólen no quarto e do ar condicionado tenham sido bem instalados e funcionam corretamente.

O diagnóstico da asma

A asma pode ser diagnosticada através de exames específicos de função respiratória, nas quais é feita uma análise da obstrução do ar.

Entre esses exames, estão os de função respiratória, de broncodilatação, exames de provocação bronquial, estudos e análises cutâneas, avaliação de princípios alérgenos no sangue, etc.

O tratamento da asma

Desenho do asma

A primeira coisa para tratar a asma é controlar as substâncias que provocam a chamada “crise de asma”.

É preciso evitar o quanto possível o contato com os agentes alérgenos.

Existem medicamentos que podem ser utilizados para aliviar os sintomas que a crise de asma produz. São os chamados medicamentos sintomáticos.

Ainda que não tenham a capacidade de fazer desaparecer a causa da doença, esses medicamentos servem para aliviar os sintomas.

Os medicamentos usados podem ser de dois tipos:

  • Os de uso crônico são utilizados como paliativo e para evitar as crises de asma.
  • Também há medicamentos para as crises mais agudas de alergia primaveril, como corticoides, broncodilatadores, teofilinas, etc.

Visite este artigo: Asma crônica e alergias: o que fazer?

As vacinas antialérgicas e a imunoterapia

Essas conhecidas vacinas consistem em injetar progressivamente doses de alérgeno no paciente.

Assim, é possível evitar ou minimizar reações asmáticas posteriores.

  • O tratamento dura entre 3 e 5 anos, na maioria dos casos.
    Essa imunoterapia pode ser utilizada nos casos de asma alérgico causados por sensibilização ao pólen, ácaros de poeira, peles de animais ou certos fungos.
  • O tratamento é o único reconhecido pela OMS como eficaz para modificar o curso normal de alergia e da asma.
Recomendados para você