6 objetos que você acredita serem saudáveis, mas que não são

· 23 de agosto de 2016
Para que muitos objetos de uso cotidiano não representem um problema para a nossa saúde devido ao acúmulo de bactérias, o mais recomendável é desinfetá-los ou substituí-los frequentemente.

Em casa costumamos usar uma série de objetos e produtos que complementam nossos hábitos de cuidado pessoal e as tarefas cotidianas.

Entretanto, sem que sejamos conscientes, muitos destes hábitos não são tão saudáveis como parecem. Por isso, foram catalogados como motivos de problemas de saúde.

Apesar de a princípio serem inofensivos e não representarem efeito algum, a longo prazo podem originar infecções e outras dificuldades.

Isso se deve ao fato de que são objetos que sujam com facilidade. Ou, ainda, são compostos por substâncias tóxicas que geram alergias no corpo.

Em seguida, revelaremos os 6 mais comuns. Assim, nossos leitores poderão identifica-los e usá-los adotando mais medidas de segurança.

Descubra-os!

Fique atento aos seguintes objetos

1. Esponjas de banho

Esponjas-de-banho-objetos-não-saudáveis

As esponjas de banho são desenhadas para facilitar a limpeza da pele e a eliminação das células mortas.

Entretanto, devido ao material com que são feitas, são objetos com um ambiente perfeito para o crescimento de bactérias, mofo e vários tipos de fungos.

O pior é que muitos as reutilizam sem desinfetá-las. Além disso, nem consideram que poderiam causar uma infecção ou um problema cutâneo.

Por isso, a melhor solução é adquirir luvas ou esponjas vegetais. Graças ao seu teor de enzimas, inibem o crescimento microbiano.

Além disso, é conveniente substituí-las de forma regular e enxaguá-las com ingredientes antibacterianos, como o vinagre branco.

Leia também: 6 formas de limpar o banheiro com vinagre branco

2. Liquidificador

O liquidificador é muito útil e necessário na cozinha, mas também pode ser perigoso se não for limpo da forma adequada.

Seus componentes de plástico e as peças acessórias com as quais vem equipado, em geral de borracha, ficam com o terceiro lugar no ranking de ferramentas com mais níveis de germes, mofo e bactérias como a Salmonela e a E. Coli.

Por isso, após usá-lo devemos desmontá-lo por completo para lavar cada uma de suas partes, incluindo as de borracha.

3. Sabonete antibacteriano

Sabonete-antibacteriano-objetos-não-saudáveis

Este produto é desenvolvido para eliminar as bactérias que aderem às mãos. Entretanto, está comprovado que pode ser prejudicial porque também acaba com os microrganismos benéficos.

Os sabonetes, géis e limpadores antibacterianos estão vinculados a um risco maior de tosse, irritações da garganta e alergias.

Além de tudo, isso se soma ao fato de que eles contêm triclosan. Essa substância foi relacionada a problemas nas funções musculares, ao risco cardíaco e a interrupção da atividade do hormônio reprodutivo.

4. Cotonetes

Os cotonetes continuam sendo o elemento preferido para eliminar o excesso de cera que se acumula nos ouvidos.

Apesar de já existirem advertências de que esse é um hábito perigoso, muitas pessoas são omissas e continuam usando-os com esta finalidade.

O inconveniente é que esses objetos empurram grande parte da cera para a parte interna do ouvido, o que pode chegar a bloquear o canal auricular.

Assim, quanto mais introduzimos o cotonete, mais liberamos uma substância chamada histamina, que causa irritação e inflamação.

Por isso, para remover o excesso de cera devemos usar alternativas como, por exemplo, as gotas, a solução salina, a água oxigenada ou o azeite de oliva.

5. Ferramentas de manicure e pedicure

Ferramentas-de-manicure-e-pedicure-objetos-não-saudáveis

A maioria dos acessórios para o cuidado das unhas das mãos e dos pés estão cheios de bactérias e outros micro-organismos da pele.

Esta situação tende a se gravar quando vários integrantes da família usam as mesmas ferramentas sem submetê-las a um processo estrito de desinfecção.

Como com cada utilização ocorre o contato direto com a pele dos pés e as unhasé comum que haja infecção com diversos patógenos.

Portanto, depois de cada uso é conveniente esterilizá-los e usar produtos antibacterianos para desinfetá-los bem.

Além disso, no caso das pedras pomes, dos palitos de laranja e das lixas, deve-se fazer uma substituição no mínimo a cada mês.

Veja também: Tratamento natural para problemas nas unhas

6. Utensílios de borracha

Os utensílios de borracha se transformaram nos favoritos para a cozinha, já que são muito práticos e não arranham as panelas.

O problema é que seu material vai se desgastando com cada uso e perde a camada protetora que facilita a limpeza.

Com o passar do tempo notamos que parecem opacos e vão desenvolvendo pequenas manchas de umidade ou mofo.

Além disso, em seu cabo são armazenados patógenos como a E. Coli e as leveduras.

Por isso, o mais conveniente é adquirir ferramentas de outro material ou procurar desinfetar esses elementos para cada uso.

Como acaba de notar, muitas das coisas que pensávamos que eram saudáveis na realidade podem ser prejudiciais quando não são usadas seguindo algumas regras de precaução.

Considere-as a partir de agora e siga os conselhos dados para que esses objetos não representem perigo algum.

  • Kent, C. (1996). livro definitivo de dicas & sugestões domésticas, O. Marco Zero.
  • Abelan, U. S., Zangaro, R. A., & Kozusny-Andreani, D. I. (2013). Avaliação da atividade antimicrobiana da água ozonizada em alicates utilizados por manicures. Anais do I Encontro de Pós Graduação e Iniciação Científica UNICASTELO.