5 formas sutis de prejudicar sua saúde emocional

20 de outubro de 2016
Você sabia que, além dos fatores externos, um dos piores inimigos de sua saúde emocional é você mesmo? Deixe de adiar seus sonhos e comece a construir sua própria felicidade.

Sua saúde emocional é como um delicado cristal que pode se romper com a menor alteração. Não importam as aparências, os sorrisos ou o fato de dizer “eu posso com tudo”, ou “é claro que estou bem”.

As aparências mais fortes encerram, na verdade, complexos mundos interiores. Os mais fortes também se cansam de ser assim porque, em seu interior, esse cristal se fragmentou e está em pedaços.

A boa notícia é que nossa saúde emocional pode ser reparada. Se prestarmos atenção a cada dia com amor a essa delicada dimensão de nosso ser, o sol a iluminará para nos dar calor a cada momento.

Neste artigo vamos propor o seguinte: que você faça um bom contrato emocional consigo mesmo. Todo bom contrato implica cumprir um compromisso.

O nosso se baseará em priorizar a nós mesmos um pouco mais, em nos escutar, em estabelecer limites e alimentar as raízes da autoestima. É fácil de colocar em prática: apenas requer vontade e coragem.

Também é vital detectar imediatamente em que momento nossa saúde emocional está em risco. Vamos explicar a seguir.

1. O cansaço que traz o desânimo e o mau humor

Há muitos tipos de cansaço. O esgotamento físico se relaciona com um esforço pontual ou mantido ao longo do dia.

Descubra também 5 formas de combater o vazio emocional

Também podemos experimentar o cansaço mental. Coisas tão corriqueiras como manter o foco durante muito tempo, cumprir objetivos ou estar num contexto muito exigente também nos esgotam

Em nosso caso, e na hora de falar sobre a saúde emocional, também devemos ressaltar o cansaço que não tem nada a ver com o esforço físico.

  • O mal-estar baseado na infelicidade que se acumula e não se enfrenta. Esse que, cedo ou tarde, é demonstrado por nosso corpo na forma de doenças.
mulher-com-passaros-negros

  • Deixarmo-nos levar por vontade alheias, sem impor ou defender nossas necessidades, também desgasta.
  • Acumular decepções, tristezas e não pôr em prática estratégias de enfrentamento, no final, provoca o esgotamento.

Esses são, sem dúvida, indicadores que devemos levar em conta sobre o estado da nossa saúde emocional.

2. Dizer “sim” quando desejamos gritar um “não”

Todos nós o fazemos, em maior ou menor medida. Moldamo-nos às opiniões ou desígnios alheios para nos encaixar, para nos harmonizar em nossos contextos diários.

  • Fazer isso de vez em quando, para socializar, não tem consequências excessivas. O problema se cristaliza quando esse comportamento se converte em norma, a ponto de levarmos uma vida totalmente oposta aos nossos desejos.
  • Querer se autoafirmar não é agir com egoísmo, nem com prepotência. Dizer “sim” sem medo e “não” sem culpa é necessário para nossa saúde emocional.

3. Vínculos emocionais que você ainda não deixou para trás

Há momentos em nossas vidas em que nos classificamos como felizes, realizando eficientemente cada coisa que fazemos. No entanto, sentimos um vazio, um incômodo.

Coisas tão comuns quanto não ter rompido por completo com nosso passado emocional nos impedem de avançar.

  • Ter problemas não resolvidos com nossa família, evocar a cada momento relações afetivas do passado apesar de terem terminado, são vínculos carregados de dor.
  • Para cuidar de nossa saúde emocional é necessário encerrar as etapas de maneira efetiva. Para conseguir isso, em primeiro lugar, temos que saber perdoar.
  • Apesar de perdoar não ser fácil, é essencial. Pense que acumular ódio, ressentimento ou rancor nos vincula ainda mais a esse passado. Somos prisioneiros da lembrança.
pluma-por-do-sol

4. Viver um tipo de realidade que não nos faz felizes

Talvez seja o trabalho onde não o valorizam, onde você não se sente realizado. Pode ser que sejam suas amizades, alguém de sua família ou parceiro.

  • A cada dia você tenta se convencer de que não deveria se sentir assim. Afinal, “nada lhe faz mal”, “todos o respeitam”. No entanto, você não é feliz e, apesar de se esforçar muito, essa sensação não vai mudar apenas porque você assim deseja.
  • Se é isso que você sente nesses momentos, pare para analisar a sua situação. Você não pode avançar quando não se sente realizado.

5. Sua saúde emocional é afetada se você é seu próprio inimigo

A saúde emocional não é afetada apenas pela maneira como as pessoas que nos rodeiam nos tratam. Às vezes nós mesmos nos sabotamos, nos fazemos mal através dos seguintes mecanismos:

Recomendamos ler também: “6 hábitos que melhoram a forma como enfrentamos a vida

  • Quando você não se valoriza e se compara a cada momento com os outros.
  • Você sabota a si mesmo quando adia seus sonhos, quando você diz “não posso”, “eu não sei”, ou “minha oportunidade passou”.
  • Fazemos mal a nós mesmos quando vemos problemas onde existem soluções. Quando vemos o fim do mundo no lugar de propiciar novos amanheceres.
  • Atacamos nossa saúde emocional quando continuamos a alimentar relações tóxicas no lugar de sermos corajosos e de dizermos adeus.
  • Você é seu próprio inimigo quando não se ama como merece, quando foca apenas em seus erros e fracassos no lugar de confiar em suas capacidades.
luminarias-penduradas

Para concluir, lembre-se do que destacamos no início: crie um bom contrato emocional consigo mesmo, cuidando a cada dia de sua autoestima e permitindo-se construir sua própria felicidade.

Vale a pena colocar isso em prática!

Recomendados para você