4 alimentos perigosos para o desenvolvimento do bebê

23 de dezembro de 2017
Há alimentos que são considerados tóxicos e perigosos durante os primeiros meses de vida do bebê. Existem 4 alimentos que você deve evitar fornecer ao seu filho para prevenir doenças.

O delicado estômago dos bebês não admite qualquer alimento. O processo de maturação necessário ao sistema digestivo significa que existem alguns alimentos perigosos para o desenvolvimento do bebê durante os primeiros meses de vida.

Além disso, os benefícios do leite materno tendem a ser suficientes para cobrir as necessidades nutricionais que os bebês têm em sua fase de nutrição.

Desde o momento em que o bebê nasce e cresce, ele quer provar todos os tipos de alimentos que os nossos pratos contêm, o que nos levará a querer adicionar uma variedade de alimentos na dieta da criança, mas devemos ser claros que nem todos os alimentos são saudáveis e nutritivos. Existem casos daqueles que são considerados tóxicos e perigosos para a vida dos bebês.

Os alimentos avaliados como tóxicos e perigosos devem ser excluídos do dia a dia, substituindo-os por aqueles que contêm cálcio, uma vez que permitem que os ossos do bebê se desenvolvam com mais força, além de formar completamente os sistemas que trabalham no corpo e facilitando a melhor estruturação da parte neurológica da criança.

Se você ainda não conhece os alimentos perigosos para o desenvolvimento do bebê, não se preocupe. Nós fizemos uma lista com 4 itens que você deve evitar fornecer aos seus filhos e prevenir doenças.

Conheça os 4 alimentos perigosos para o desenvolvimento do bebê

Você precisa saber o que come e o que isso significa.

1. Suco de frutas e refrigerantes

Refrigerantes

É verdade que os sucos são feitos de frutas, mas isso não significa que eles são saudáveis. A fibra que as frutas frescas contêm, por exemplo, é quase completamente perdida através do processo de fabricação de sucos, e o que resta é muito açúcar. Os sucos também podem causar diarreia em alguns bebês, dependendo da condição do estômago e dos fatores nutricionais. O melhor é limitar o consumo.

Por sinal, não se deixe enganar pelas alegações de muitos fabricantes de que seus sucos de frutas contêm a vitamina C de que os bebês precisam. A Academia Americana de Pediatria recomenda que crianças com menos de 6 meses de idade tomem somente fórmula ou leite materno. Os bebês entre 6 e 12 meses podem receber pequenas quantidades de água, mas o leite materno ou fórmula deve continuar sendo o alimento principal.

2. Embutidos (salsicha, linguiça)

Alimentos duros, pegajosos e evasivos, em pedaços grandes e redondos, são considerados perigosos para crianças pequenas, porque podem facilmente sufocá-las (um pedaço de cenoura crua, por exemplo). Consequentemente, não dê ao seu bebê: salsichas, linguiça, grandes pedaços de carne ou queijo, uvas inteiras, milho, vegetais duros ou crus, ou mesmo oleaginosas e sementes.

Uma vez que você começar a oferecer comida para o bebê que ele possa pegar com os dedos, certifique-se de que esses alimentos sejam cortados em pequenos pedaços. É importante saber que os bebês devem seguir uma dieta bastante rigorosa com os alimentos e, de preferência, devem estar ligados aos nutrientes que recebem através da amamentação.

3. Embora pareça óbvio, não dê açúcar aos bebês

Bebê comendo papinha

Dar a um bebê alimentos doces pode causar flutuações no açúcar no sangue e cáries, além de ser uma terrível irresponsabilidade por parte dos adultos que administram essa substância aos bebês. Lembre-se de que seu paladar tem uma transformação constante através da qual experimentam os diferentes sabores e aromas, com uma pequena predileção em relação ao doce (como o sabor do leite materno, que é doce).

No entanto, as contraindicações e as consequências do açúcar em: doces, balas, refrigerantes, sobremesas, etc., geram doenças graves e distúrbios do sono. O açúcar na medida certa não deve ser considerado ruim, mas lembre-se de que a nutrição de um bebê é absolutamente proporcional e assegurada com alguns alimentos que a mãe já dispõe. Estes são:

  • Leite materno
  • Água.

Alterar esses valores nutricionais deteriora a qualidade dos alimentos e predispõe os bebês a cada vez mais doses de açúcar, um problema que se transforma em: distúrbios cognitivos, rejeição de frutas, vegetais e contas caras no pediatra e no dentista (cárie, tártaro, gengivite, etc.).

4. Sobremesas. Sim, nem a gelatina se salva

Gelatina

A maioria das gelatinas são feitas quase que inteiramente de açúcar, corantes artificiais e saborizantes, e uma pequena quantidade de gelatina que lhe dá consistência. A que é preparada em casa (feita com suco de fruta) elimina aditivos artificiais, mas ainda é essencialmente suco de frutas e açúcar. Se você rever a seção anterior, entenderá por que deve evitá-la.

É verdade que a gelatina é fácil de engolir, mas existem outras sobremesas saudáveis e que servem de substituto e são amplamente recomendadas para o seu bebê para cumprir a responsabilidade de alimentá-lo de forma saudável:

  • Asse uma maçã, amasse e polvilhe um pouco de canela.
  • É naturalmente doce e possui fibras, vitaminas e uma textura deliciosa e cremosa.

Agora que você já conhece estes alimentos perigosos para o desenvolvimento do bebê, fique atento à alimentação dos pequenos para não prejudicar a sua saúde.

Recomendados para você